domingo, 30 de maio de 2010

Primeiro Culto para Crianças e Adolescentes na Congregação da 31 de Março

Na noite de ontem (29/05/2010), foi celebrado um culto totalmente voltado às crianças. O início do trabalho foi feito pelo Pb. Josué, e na sequência, as crianças leram, cantaram e ouviram uma linda história bíblica contada pela irmã Raquel e pelo irmão Anderson, vindos de Curitiba, que trouxeram a participação do "Tunico", um boneco muito divertido.

Ao final, um momento muito alegre com algodão doce, pipocas e tudo o que a garotada gosta.


Início do Culto com o Pb. Josué


Cantora Edna Barros e Pb. Josué louvando a Deus com os corinhos


Vista parcial do templo






Susana fazendo a leitura bíblica (Salmo 100)




Ana Flávia louvando a Deus.


Nathan e Lucas


Daniela, também lendo a Palavra de Deus


Vitória


Gabriel, nosso futuro pregador


Dhafine Kauane


Cantora Raquel e Diácono Noé participando dos louvores


Ana Flávia, também como coadjuvante


Jhonne e Camila


Pb. Marcos


Tunico (simpático esse boneco) e Raquel, iniciando a história bíblica


Essa dupla narrou, de uma forma bem lúdica, a história de Nabucodonozor (contida no Livro do Profeta Daniel)


"Atores especialmente convidados" para participar da história


E as "crianças grandes" não fizeram por menos: participaram ativamente do enredo.


As crianças em momento de interatividade


Interessante o envolvimento das crianças


Pb. Marcos, e bem na esquerda, quase "caindo fora da fotografia" o Diácono Orlando.


Parte dos "anjinhos".... Que os vê pensa que são sempre assim.


Cantora Raquel e seu marido Anderson: vieram de Curitiba para abrilhantar esse trabalho. Que Deus os recompense pelo belo Ministério. 


Priscila e Raquel.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Tempo....

Incrível como essa preciosidade chamada tempo está cada vez mais escassa. Tenho tentado manter atualizado o meu blog, mas infelizmente, não tenho conseguido.

Por outro lado, tenho colocado todo meu tempo disponível para cuidar de meu povo, na 31 de Março. Cada pessoa tem suas características, peculiaridades, e pq não dizer, esquisitices também. Mas é isso que faz com que cada um tenha seu charme.

Eu, a Priscila e a Susana estamos cada vez mais apaixonados por esse povo maravilhoso.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Será que sou homofóbico??


O dicionário define homossexualidade como: “que deseja alguém do mesmo sexo [gênero] ou o ato de ter sexo com alguém do mesmo sexo [gênero]”. Em outras palavras, é uma conduta sexual feita com alguém do mesmo sexo. O dicionário não definiu esse termo como duas pessoas do mesmo sexo que por acaso se amam.
Simplificando: tanto a homossexualidade quanto a heterossexualidade tratam de sexo. Uma expressão sexual está perfeitamente em harmonia com a maneira como a natureza designou nossos corpos para propósitos reprodutivos (heterossexualidade), enquanto a outra não (homossexualidade). Nenhuma das duas expressões sexuais tem algo a ver com amor. Ambas são condutas sexuais expressas por meio de contato físico entre duas ou mais pessoas.
A atividade sexual pode ser uma expressão de amor, mas o próprio sexo não é amor. Todos os adultos maduros sabem que sexo e amor são duas coisas diferentes. O amor puro não é expresso na maior parte das vezes de forma sexual.
Pais que amam seus filhos darão a vida por eles, mas eles nunca têm sexo com os filhos. Soldados deram a vida — a expressão máxima de amor conforme a Bíblia (João 15:13) — por um colega de farda (do mesmo sexo), mas eles nunca tiveram sexo com seu colega. Irmãos e irmãs têm sacrificado a vida por seus irmãos doando os próprios órgãos para salvar a vida do outro, enquanto outros têm deixado sua herança inteira para seus irmãos, mas em ambos os casos essas expressões de amor jamais incluíram sexo.
O ato sexual é meramente um ato físico que é na maior parte das vezes expresso na privacidade do lar. Portanto, esse ato não deve ficar sob a proteção de leis de direitos civis. Seu devido lugar de proteção são as leis de privacidade, não leis de direitos civis. As leis deveriam ser criadas para desestimular condutas criminosas, não apoiar condutas sexuais privadas.
Quando gays disseram que nasceram desse jeito e se compararam com negros, uma criança negra escreveu:
Meu ato sexual não me fez negro
Isso é algo que os gays não podem dizer
Pois é fato que o ato sexual deles
É o que os faz gays
A homossexualidade e a heterossexualidade são comportamentos sexuais que se expressam. Não são condições físicas como a cor negra ou branca.
Havendo dito isso, será que sou homo-fóbico se eu não gostar, não aceitar ou não me sentir bem com a expressão (conduta) sexual dos gays? Homo-fóbico significa temer ou odiar o indivíduo gay ou homossexual que se engaja em tal conduta? Antes de responder a essa pergunta, por favor permita-me compartilhar com você outras condutas com as quais não me sinto bem.
* Não gosto de (ou não me sinto bem com) heterossexuais que se exibem com gestos escandalosos em público quando podem fazê-lo na privacidade de seus lares. Será que sou hetero-fóbico e odeio heterossexuais?
* Não gosto de (ou não me sinto bem com) indivíduos que traem o cônjuge. Isso significa que tenho fobia e ódio dos que traem seus cônjuges?
* Não gosto (ou não me sinto bem) quando meus filhos se comportam como membros de gangue. Será que odeio ou temo meus filhos? Será que isso é fobia dos próprios filhos?
* Não gosto (ou não me sinto bem) quando motoristas fazem ultrapassagens perigosas em outros motoristas. Será que tenho ódio ou fobia de motoristas?
* Não gosto (ou não me sinto bem) quando meus irmãos e irmãs negros usam a palavra “preto”. Isso significa que tenho medo e ódio de meus irmãos e irmãs afro-americanos?
* Não gosto de (ou não me sinto bem com) muitos dos meus maus hábitos. Será que tenho ódio e medo de mim mesmo?
Imagino que você está entendendo o que estou querendo dizer. Só porque não gosto de certas condutas ou não me sinta bem com certas condutas, isso não significa que temo ou odeio a pessoa que se engaja em tal conduta.
Não devemos permitir que outros nos rotulem ou coloquem em nós um peso de culpa naqueles entre nós que não gostamos, não aceitamos e não nos sentimos bem com o estilo de vida homossexual. Tenho certeza de que mesmo dentro da população homossexual há certas condutas que eles não gostam, mas isso significa que eles temem ou odeiam as pessoas que demonstram tal conduta?
Eu odeio ou temo gays? Absolutamente não! Se eu visse alguém tentando prejudicar fisicamente um gay, como cristão e tal qual o “Bom Samaritano” da Bíblia, eu seria um dos primeiros a socorrê-lo, não porque o indivíduo prejudicado é gay, mas porque ele, como eu mesmo, é amado por Deus. (João 3:16)
Considerações finais: Conforme declarei antes, os gays muitas vezes comparam sua experiência com a experiência dos negros, mas os negros nunca tiveram a opção de esconder sua pele negra no armário para escapar ou evitar perseguição. E nós nunca fomos odiados por causa de nossa conduta. Nós éramos odiados simplesmente porque éramos negros.


Fonte: Americans for Truth

terça-feira, 11 de maio de 2010

Culto do Dia das Mães

Domingo, dia 09 de maio, realizamos o culto do Dia das Mães.
Foi muito importante constatar a participação de todos nesse tradicional evento.
Ao final do culto, foram distribuídos vários presentinhos às mães presentes, com destaque para o final: um jogo de panelas, um liquidificador, e uma Bíblia da Mulher (capa de couro, versão luxo).
Para evitar lamúrias (as tradicionais reclamações que ocorrem nesse tipo de evento), utilizamos o software "Sorteio Virtual - Mais!" -  Versão 1.0.98, que proporcionou lisura ao sorteio (não é propaganda, pois trata-se de um freeware).
Obrigado aos que participaram e cooperaram para a realização desse evento.